Deep Throat, um clássico pornô


Deep Throat, um clássico pornô

O filme que imortalizou a pornstar Linda Lovelace e popularizou mundialmente a prática da garganta profunda (boquete hardcore que tem por objetivo engolir o pau inteiro), é pesado como todo o bom pornô. Mas, em meio a diversas tomadas de sexo explícito e closes de genitálias em fricção, rola também uma trama interessante, com cenas divertidas e ótimos diálogos. A produção de baixo orçamento daquele ano de 1972 se assemelha aos filmes amadores de hoje em dia. Proibido em 22 estados norte-americanos, provocou uma verdadeira revolução à epoca, promovendo um grande debate sobre liberdade sexual.

A história se desenrola a partir da revelação da própria Linda, que conta à sua amiga que nunca chegou lá. Helen, que é bem descolada totalmente sem pudores, resolve ajudar a amiga a atingir o tão desejado orgasmo e promove uma concorrida fuckparty em sua casa. As duas revezam-se entre diversos rapazes. Helen trepa como uma alucinada com dois homens ao mesmo tempo, numa cena que chega a ser cômica. Mas o objetivo de fazer a protagonista ver estrelas não é atingido. Inconsolada, Linda decide procurar ajuda médica.

O doutor recebe Linda numa sala de decoração nonsense, jogando bolhas para o ar, enquanto ela fala. Pergunta-lhe sobre traumas de infância, mas diz não se incomodar com nenhum dilema moral. E então surge a questão: “Será que o problema é físico, e não psicológico?” O médico resolve fazer um tosco exame interno. Molha a ponta dos dedos em uma tigela de água (como se isso assegurasse qualquer condição de higiene) e vai observar no meio das pernas da garota com uma luneta. Rapidamente, obtém o diagnóstico: Linda não tem clitóris (obviamente que, na pequena pussy totalmente depilada da pornstar, vê-se um pequeno grelo – mas ignoremos o fato). A menina põe-se a chorar.

Ele pede para ela se acalmar e diz que há de ter um jeito. Pergunta-lhe o que a excita mais. Ainda aos prantos, Linda responde: “Fico excitada aqui”, apontando para a sua boca. Eis que o médico examina a garganta dela e lá dentro encontra o seu clitóris. Deep throat seria, portanto, a solução para a frigidez da garota. O doutor ensina: “É uma questão de disciplina. Você tem que aprender relaxar todos os músculos. Deve sincronizar a respiração com o movimento da sua cabeça”. Logo, ela resolve treinar com ele e acerta de primeira! Assim, Linda Lovelace ouve finalmente os sinos tocando e fogos de artifício e até um foguete decolar, tudo ao mesmo tempo.

Imediatamente, Linda se diz apaixonada pelo doutor e o pede em casamento. Ele diz que não pode fazer isso, mas se propõe a tratá-la e faz dela uma de suas enfermeiras. Há ainda uma cena  bizarra em que um homem serve vinho em um recipiente colocado na buceta dela, e, enquanto penetra, bebe de canudinho. A garota continua atrás de um rapaz bem-dotado cujo pênis alcance o clitóris no fundo da sua garganta – segundo ela, deveria ser um pau de mais de 22cm!

É interessante assistir a esse filme e perceber certas mudanças culturais que ocorreram com o passar do tempo. De fato, ninguém usava camisinha naquela época, quando Aids ainda não se configurava como ameaça. Também parece não haver muita preocupação com depilação genital.

O melhor é conferir essa obra clássica da pornografia, na íntegra:

 


Deep Throat – classic movie (1972) brought to you by KeezMovies.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *