Ele tem pegada


Ele tem pegada

Só tomo inciativa no flerte quando estou em condições bem desfavoráveis. Seja porque o tempo é curto e preciso aproveitar a oportunidade. Ou o rapaz é um deus grego e quero que me note, a qualquer custo. Em geral, mesmo se estou afim, espero ele tomar atitude. E não é para tentar me fazer de difícil ou fazer tipo de “boa moça”. Quero testá-lo. Observar sua abordagem. Verificar como me toca, como tenta me seduzir. Quero sentir sua pegada.

Não sei dominar. Sou bem ativa no sexo, peço o que quero, impeço o que não gosto, demonstro minhas habilidades. Às vezes, chego a impor minhas vontades. Mesmo assim, prefiro me entregar às mãos do cara. Deixar que me segure forte. Atender aos seus desejos. Obedecer.

Gosto quando puxa meu cabelo. Basta pegar firme no coro cabeludo, para fazer meus lábios se abrirem, como se estivesse pronta para seu uso. Amoleço o pescoço e deixo que movimente minha cabeça, para que leve minha boca aonde quiser. O homem que tem pegada apenas segura com suas mãos quentes a lateral dos quadris e me faz estremecer, desmanchar em seus braços. Quase não sinto mais as pernas, com um simples toque. Os pelos se arrepiam, desde lá de baixo. Logo vem a sensação de frio na barriga, enquanto exalo cheiro de sexo.

Ele percorre as mãos sobre a superfície do meu corpo e não tem pressa. Sabe que terá o que quiser de mim, só pela forma como me pega. Faz que me sinta frágil, ao me pôr de quatro, de joelhos, montada em seu colo. Farei tudo o que puder, apenas para sentir a força dos seus braços, ao me agarrar.

O rapaz será capaz de me levar à loucura, se me pressionar contra a parede ou mesmo me levantar no colo, permitindo o encaixe dos meus quadris. Quando o volume do seu membro ereto encosta o meu corpo, imediatamente sinto a pélvis se contrair, como se se posicionasse para recebê-lo. A brutalidade é afrodisíaco, mas não significa grosseria. Ele sabe explorar cada zona erógena do meu corpo, como se tivesse um mapa que leva me direto ao prazer.

Sinto sua pegada até na forma como me devora com seus olhos. Experimento a sensação de fricção dos seus pelos contra a minha pele, apenas ao notar a malícia do seu olhar. Fico sem fôlego ao ouvir o som de sua respiração ofegante.

Ele age por instinto e o deixo me invadir. Safado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *