Entrevista: Eliza Schinner conta detalhes do que rola no sexo entre meninas


Entrevista: Eliza Schinner conta detalhes do que rola no sexo entre meninas

“Minha vida é uma loucura”, resume a rockeira que divide os palcos com o trabalho em agência publicitária. Eliza Schinner é lésbica assumida desde os 16 anos de idade e totalmente viciada em rock’n roll desde criança. Fez faculdade de medicina e largou no décimo período para poder viver de música. Já tocou como baixista em diversas bandas e atualmente está viajando o Brasil com o grupo Nove Zero Nove. Em 2013, protagonizou, ao lado da ex-namorada Stella Chinelli o reality show do canal Bis Vida de Rockeira, que acompanhou as desventuras das garotas ao lançar uma banda de rock feminina.

Eliza se declara completamente apaixonada por mulheres. “Tive várias namoradas nessa vida”, afirma com um enorme sorriso a baixista de 32 anos. Ela não tem pudores em partilhar detalhes de seu cotidiano no Facebook e frequentemente se diz uma pessoa “transante”.

A rockeira tem a língua solta – talvez seja isso que as garotas mais gostam nela. Por isso mesmo, tivemos uma divertida conversa, na qual ela me revelou tudo que se passa entre duas garotas na cama:

 

Sexo entre mulheres tem preliminares?
Para quem considera sexo só a meteção, sim. Para quem considera sexo toda troca de toques e prazeres, posso dizer tanto ou que não existe isso de “preliminares” ou que nosso sexo é uma eterna e deliciosa preliminar.

 

Que tipo de atitude a lésbica boa de cama tem, na sua opinião?
A boa de cama sabe ser tão ativa quanto passiva. Muitas meninas lésbicas têm “vergonha” ou algum ressabiamento em serem “passivas”, pois não querem se sair como as “mulherzinhas” na cama. A boa de cama sabe ser tão “feminina” quanto “macho” na hora H.

 

Quer dizer que a garota também tem que ter pegada?
Para mim tem que ter pegada sim. Definitivamente!

 

Mas há algum tipo de divisão de papéis no casal de garotas – uma costuma assumir a posição de macho da situação?
Não gosto desta divisão. Como disse anteriormente, para mim a “boa de cama” é aquela que sabe fazer todo e qualquer papel. O importante é gozar e fazer gozar. Não gosto de sair com meninas que só querem ser o “macho” da situação, o que seria equivalente a ser a “ativa” da situação. Não gosto de ser o macho nem a fêmea. Gosto de ser tudo.

 

Que zonas erógenas você mais gosta de explorar nas garotas?
Posso dizer que uma mulher é uma enorme zona erógena? (risos) Agora, nada mais sensível e gostoso do que clitóris, seios, pescoço…

 

O que é mais gostoso e o que não é nada prazeroso na hora de excitar os seios?
O mais gostoso é usar a língua. O menos gostoso é gente que não sabe dosar a intensidade de uma mordidinha ou de um apertão. Se bem que há um adendo: nada melhor do que uma mulher se esfregando nos seus peitos. Sentir o clitóris roçar no mamilo é divino.

 

Você já usou cinta de strap-on? Se sim, gostou?
Já usei muito. Acho interessantíssimo. Só neste momento você tem noção da energia que os homens gastam pra transar. É totalmente diferente de nosso desgaste, por mais que estejamos loucas e fazendo de tudo. Acho uma delícia. Adoro usar e ser usada.

 

Então eles se cansam mais?
Sim, ficar metendo cansa demais! A gente não está acostumada com isso. Se você fizer direito é de ficar bufando, e tem que se encher de água logo em seguida. Não adianta nada botar o strap e ficar de ladinho fingindo que está metendo. Tem que meter “que nem macho”.

 

E aquele pênis duplo, com duas pontas, já usou?
Não, acho desnecessário. Colar bunda com bunda? Não me apetece. Gosto de olhar na cara, do contato corpo a corpo… aquilo separa muito a mulherada.

 

Você tem vibradores e dildos? Qual o seu preferido?
Acho vibrador tão irreal. Não existe a sensação de vibração no sexo real, então não gosto daquela sensação de toque de celular no vibra call, acho desnecessária. Já um dildo, não custa nada, mas para usar com o strap. É uma delícia.

 

Rola sexo anal entre mulheres?
Rola sim. Por que não? Mas posso dizer que a maioria das meninas com quem fiquei não deixava nem chegar perto do ânus. Um preconceito bobo de meninas lésbicas que não querem ser tão “menininhas” na cama. Já fiquei com uma menina que disse: “Que é isso, dar o cu é coisa de viado!” Eu mereço?

 

Mas elas não gostam nem de beijo grego?
Essas não. São preconceituosas com o próprio ânus. Uma grande bobeira… não se permitem. Já as que gostam, gostam mesmo! (risos)

 

O que mulheres fazem melhor na cama que os homens?
Mulheres não deixam nunca a outra sair sem gozar. A única intenção é sempre essa.

 

Nunca te aconteceu de você transar com uma garota que não relaxasse a ponto de não conseguir gozar?
Ou elas fingem muito bem ou nunca aconteceu. Fazer a mulher gozar é meu objetivo maior na cama. Nem que eu fique três horas suando, e saia dali desidratada e morta. Vale lembrar o básico adendo de que toda mulher sabe fingir orgasmo, não é?

Gozar exige vontade de gozar. Se você não se concentrar, se estiver dispersa, não vai gozar nunca também, né? Não há uma fórmula secreta para todas as mulheres. Cada mulher goza mais fácil de um jeito. Já tive mulheres que só gozavam se se masturbassem; já tive mulheres que só gozavam jatando, e a fórmula era a penetração muito forte e rápida; já vi mulher que só gozava se estivesse metendo dois dedinhos e chupando ao mesmo tempo. Cada uma tem seu jeitinho. O que torna a vida ainda mais gostosa. (risos)

 

Pode ensinar alguma técnica infalível de sexo oral?
Haha essa é boa! Nada é exatamente infalível. Mas tem coisas gostosas que nem toda pessoa domina, como sugar o clitóris, deixá-lo preso na boca, enquanto mexe nele com a língua. Tem homem que acha que chupar é enfiar a cara ali e ficar mexendo para um lado e para o outro, como se estivesse fazendo “bilu bilu” em barriga de neném. Pelo amor de Deus, né? Parece cachorro raivoso. Mulher não gosta de cão raivoso, não.

 

Que posições e movimentos não podem faltar no sexo lésbico?
Aquele meia-novezinho básico (todo mundo se chupando at the same time), e o famoso scissor sisters… das melhores coisas da vida.

 

Ah, é isso que é conhecido como “colar velcro”?
Sim (risos). Dê graças à banda que está aí bombando e disseminando este lindo termo. A sensação das duas se tocando ali é a melhor coisa da vida.

 

E me conta: como isso funciona?
Funciona melhor com uma por cima da outra. Pode ser com as duas deitadas também, mas não encaixa tão bem. Você procura ali a melhor posiçãozinha. A perfeita é uma em cima e a outra deitada, a que está em cima meio que de ladinho, sabe? Imagine aí… (risos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *