Soltinha em casa com seu babydoll

Meio camisola, meio lingerie. Não há roupa de dormir mais sexy que o babydoll.

Na verdade, na hora de pôr a cabeça no travesseiro, prefiro mesmo o meu modelito “ao natural”. Não suporto nada me apertando durante o sono e me tranquilizo com o roçar da pele no lençol. Mas, naquele momento de intimidade, tomando café da manhã ou assistindo filme acompanhada, me sinto bem mais confortável com um babydoll. Fico leve, soltinha.

Se tenho  intenções mais perversas, aumento a dose de erotismo com peças rendadas, transparência. Há modelos abertos na frente, que deixam a barriga à mostra. A saia mais esvoaçante tem um balançar que atrai olhares – e tem sua dose de meiguice. Eles adoram. Quando é preciso ficar mais comportada, aposto no conforto do shortdoll – o modelo com shortinho.

A vantagem dos babydolls mais fechados é que dá para usar sem calcinha. Melhor evitar elásticos apertando a virilha quando se está em casa, pois isso prejudica a circulação e ainda causa o espessamento da pele na região. Sim, calcinha apertada pode  manchar e escurecer a pele – principalmente de quem é morena.

Dá para encontrar peças em cetim super em conta. O bom é ter algumas diferentes na gaveta, para variar e poder ficar mais à vontade sempre que quiser.

Veja esses modelos Victoria´s Secret e se inspire. Solte-se.

Quem não curte um babydoll?

6 Comentários. Polemize.

Deixe uma resposta