Mariana, 18. Possível bissexual – ou não.


Mariana, 18. Possível bissexual – ou não.

Oi Lasciva!

Seu blog é uma das melhores coisas que já descobri na internet. Fiz 18 anos no fim do ano passado e faz um tempo que queria falar sobre algumas coisas com alguém, mas faltou coragem. Espero que possa me ajudar.

Notei que tenho reparado em garotas da minha idade. Não sinto um desejo forte, mas uma vontade louca de fazer coisas a três. Uma vez, cheguei perto de ficar com uma menina, que era muito linda. Porém, na hora H, não tive coragem. Tenho um certo tesão em ver duas pessoas do mesmo sexo se agarrando, não importa se são dois homens ou duas mulheres. Sou normal?

Acho que meu medo é mais sobre o que os outros vão pensar. Mas, ao mesmo tempo, quando estou a ponto de ficar com uma mulher, o desejo some! É super estranho. Tenho alguns amigos gays, bis, etc. Eles me contaram que, com eles, sempre rolou tudo naturalmente . Não faço nada se me sinto forçada. Só que, por mais espontânea que a coisa seja, algo que me trava.

Suas experiências me deixam louca! Adoro assuntos sexuais e adoro um sexo mais hardcore. Até meus 16 anos eu não tinha desejo sexual em nenhum dos sexos e, de repente, os impulsos e as oportunidades surgiram de uma vez só. A vontade de experimentar mulher bateu, só que na hora eu meio que broxo. E agora?

Mariana.

 

Oi pequena,

Que doçura de email lindo!! Super entendo sua dificuldade. Isso de travar na hora de pegar uma garota e não saber definir direito o que sente. Já passei por esses dilemas. Percebo que você está mesmo afim de experimentar uma gatinha. Mas, no meu ver, há diversas variáveis envolvidas no momento de colocar suas vontades em prática:

Total desconhecimento

Isso, em primeiro lugar. Qualquer novidade causa um estranhamento. Sabe quando você corta o cabelo em um penteado novo e sai do salão boladassa? Geralmente, demora um tempo até se acostumar e começar a gostar do novo corte. Pode acontecer, inclusive, de você passar a amar o penteado, depois de se habituar a ele. Esse raciocínio vale para todo o tipo de mudança que o ocorre no nosso dia a dia.

Receio quanto a rótulos

Você assume ter medo do que os outros vão pensar. Realmente, esse desapego quanto ao julgamento e opinião dos outros que tenho é uma situação conflituosa e até sofrida. Porque não significa que eu possa mesmo ignorar ou anular os dedos apontados ao meu redor. É impossível, de fato, evitar que as pessoas te condenem ou te critiquem pelo que faz. O que eu considero, nesses momentos:

Quem pode me julgar? Realmente me importa a opinião dessa pessoa? Caso o julgamento seja negativo, em que isso vai implicar na minha vida?

Cada vez mais, conheço garotas que preferem não ser chamadas de bissexuais, mesmo se sentindo atraídas por garotas – porque há quem use esse nome com um significado pejorativo. Minha opinião é que não há o menor sentido em desmerecer a sexualidade do outro. Cada um é cada um. Tenho o maior orgulho de ser bissexual, acho lindo. Mas é tão bacana quanto ser hetero, gay, trans…

Choque entre expectativa e realidade

Inevitável, minha cara. Em tudo na vida.

Sua atração por mulheres não é tão grande assim

Isso é o que acontece comigo. Acho-as lindas, sensuais, deliciosas. Mas não tenho nenhum impulso romântico com garotas e dificilmente consigo me sentir realmente à vontade em um lance sozinha com outra mulher. Geralmente, meu desejo de relacionar outra garota e mais num contexto de pegação, putaria, em que há outro homem envolvido. Sempre achei que eu me pegava com minhas amigas mais para causar do que por satisfação própria. Hoje em dia, percebo que sinto mesmo muito desejo por elas, mas é bem diferente da relação com os rapazes – a maioria dos amigos homens tem segundas intenções, pode anotar. De fato, você só poderá avaliar melhor quando experimentar.


Minha dica é: feche os olhos e abra a boca! Tente não pensar muito, faça. Permita-se. Só assim poderá descobrir de verdade se é uma possível bissexual. Ou não.
E depois me conta TUDO.
Beijocas,

 

Fotos: Chase Lisbon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *