Meu orgulho macho me impede de realizar minhas fantasias


Meu orgulho macho me impede de realizar minhas fantasias

Oi, minha querida!

Venho te abusar, na verdade, apenas desabafar. A única pessoa a qual tenho certeza que vai me ler sem me julgar é você.

Afinal, que maldito fetiche é esse? Que coisa totalmente insuportável e sem noção é essa de querer ver a pessoa que você gosta com outra na cama? É duro admitir, mas isso dá um tesão surreal!

Sei que isso já não é mais tão absurdo e incomum no universo sexual. Mas ainda não me acostumei comigo mesmo em aceitar que sinto tesão nisso. Vejo vídeos sobre o assunto e fico louco! Por que tem que ser assim? E uma simples história inventada não me agrada. Precisa ser amador – ou seja, real.

Me sinto tão sujo, tão “otário” sendo assim…

Conheço seu modo de ver as coisas o suficiente para ter a certeza que vais dizer que é puro “machismo” meu. E vai estar certa novamente (para variar!). Mas diz se não é duro pra um homem assumir que sente tesão em ver sua mulher dando pra outro em sua frente?

Enfim… só queria desabafar, pois não aguento mais. Em tempo: sim, meu machismo (e o das próprias mulheres) dificilmente permitirá que essa fantasia se realize.

E eu prefiro nem contar para elas que tenho esse desejo. Melhor assim. Acho que se desse lugar ao tesão e tentasse realizar isso, por mais que o tesão e prazer do momento fosse inigualável, creio que me arrependeria profundamente e nunca mais me sentiria um homem.

Infelizmente, nesse ponto, sou dominado pelo “orgulho macho”. Não fico feliz com isso, mas acho que é melhor assim.

Beijão, gosto demais de você!

Rodrigo.

 

 

Oi Rodrigo,

Acho triste que você não consiga se desvencilhar dos próprios pudores para realizar aquilo que tem vontade. Até porque você só vai saber na hora se é tudo isso ou não. Até lá, vai ficar se martirizando por aquilo que sente, como se os próprios desejos fossem algum tipo de crime.

Sim, a fantasia do cuckold pode envolver situações delicadas, de trazer para o meio da relação outras pessoas cujo papel é justamente não ter sensibilidade por nada. Fazer isso pode ferir os sentimentos da sua parceira, ou os seus próprios. Porém não vejo como algo irreversível. No sexo, quando feito com segurança e se você tem respeito ao próximo, os danos não chegam a ser graves. E para conhecer do que é feita a vida, é preciso experimentar seus sabores. 

O tabu é apenas uma limitação, uma proibição que nos impomos, com base em valores culturais que absorvemos. O que é tabu para os outros só se torna proibido para nós mesmos se assimilamos aquilo. Parece que você vive uma contradição entre o seu orgulho e suas vontades, o que parece te causar sofrimento. Por que se desapegar do próprio orgulho parece tão difícil?

Bem, pelo menos você reconhece o próprio machismo e já conseguiu se abrir!

Boa sorte!
Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *