Minha amiga lasciva


Minha amiga lasciva

Escrevo este texto para a lasciva que conheci mesmo antes desta marca/nome existir.

*  *  *

Sinto falta da presença dela no meu cotidiano, das histórias fantásticas que ouvia diariamente. Sempre fui tímida quando o assunto é sexo.Mas ela me contou e conta suas histórias com tanta naturalidade e êxtase, que aprendi a pensar e por vezes fazer comentários sobre sacanagem. O mais engraçado é que, outro dia, fui admirada por ser uma mulher que faz boas piadas sobre sexo e profere frases com duplo sentido.

De tanto que faço propaganda do blog dela me perguntaram se era eu! Ahaha. E a minha resposta:
– Ah quem dera! Não só pelo que ela escreve, mas, muito mais, pelas histórias que vive.

Aprendi a pensar sem sentir culpa. Isso pode parecer um tanto ingênuo, e de fato é. Mas percebi que me permitir a pensar e estar consciente de que se acontecer é melhor deixar rolar do que guardar a mágoa de nunca ter feito é um dos meus grandes aprendizados. Gostaria de contar a ela minhas histórias, que me parecem fantásticas. Só que, quando a vejo, tudo que quero é ouvir as suas, e no fim as minhas nem parecem tão interessantes assim.

Às vezes, gostaria de publicar nos maiores e mais favoritos veículos de comunicação o quanto a Lasciva é sensacional. Não apenas no que diz respeito a sexo, mas o quanto ela é inteligente, dinâmica, atraente e tudo mais… Acontece que isso seria muito piegas – e este termo é algo que de fato não se aplica a ela.

Quero contar a ela que tenho um namorado super lindo e delícia, mas que não se permite nada. Vez em quando, faço algum comentário safado, comento sobre sexo ou mesmo sobre a possibilidade de pegar garotas ele me olha com aquela cara de inquisidor. Para mim, isso se tornou super tranquilo. Com ela, aprendi que desejar é normal, que tesão é sensacional.

Adoro narrar suas histórias para pessoas tímidas e, na maioria das vezes, me percebo tímida contando-as também. Mas existe um ser fantástico que me apresenta estas histórias que me mostrou que é capaz de coisas incríveis das quais eu também sou.

 

 

Já faz cerca de seis anos desde que me aproximei da linda que escreveu esse texto. Na época, eu precisava de uma estagiária para a assessoria de imprensa onde trabalhava. Ela estudava pedagogia, mas me pareceu uma garota dinâmica e competente. Tornou-se meu braço direito dentro da empresa. E se destacou tanto que, depois que saí de lá, a bonita foi contratada. Hoje vivemos em cidades diferentes, mas sempre pude contar com ela para tudo. Em especial, gosto de poder contar com seu bom humor ao meu lado, quando podemos sair juntas.

No dia que recebi, por email, essa bela homenagem, eu estava no ônibus, a caminho do trabalho. Mas não aguentei. Desmanchei de chorar, ali mesmo. Difícil não se emocionar com uma demonstração de carinho como essa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *