Naturismo – a nudez como gesto natural


Naturismo – a nudez como gesto natural

A nudez em público é legalmente aceita em ambientes naturistas. Naturismo é uma filosofia de vida que prega o retorno à natureza com atividades ao ar livre, onde o gesto de ficar pelado faz parte de uma busca por maior conexão com o ecossistema. Essa ideia parte da aceitação do corpo, sem distinção de partes indecorosas. As formas humanas não chocam ou agridem os naturistas.

Ambientes naturistas são, também, espaços para a família. Quem não tem o hábito de frequentar espaços de naturismo se vê constrangido ao sentir vergonha, em meio a tantas pessoas à vontade com sua nudez. É tudo muito natural, sem idealizações de beleza ou padrões estéticos do corpo. Crianças vão com seus pais, velhos, gordos e magros convivem harmonicamente com seu organismo e a natureza ao seu redor. Pregam a aceitação das diferenças, com o respeito a si mesmo, ao outro e ao meio ambiente.

O naturismo não é anárquico – existem regras. Há, no Brasil, um código de ética, de autoria da Federação Brasileira de Naturismo, que normatiza a atividade nos ambientes públicos onde a nudez é legalizada. O documento determina, acima de tudo, a respeitabilidade e a preservação da natureza. É terminantemente proibido praticar atos obscenos, que possam constranger os demais frequentadores, bem como o uso de violência física. Cabe advertência nos casos de assédio, fotografar ou filmar sem autorização, perturbar a paz com baderna e som alto, poluir e causar danos ao meio ambiente, além de usar roupas em locais e horários exclusivos de nudismo – sendo tolerado às mulheres o topless durante período menstrual.

Carícias entre casais em locais de nudismo é considerado falta de educação grave. Os frequentadores devem se comportar como se estivessem vestidos na frente dos outros. Assim todos podem ficar mais à vontade, sem receios de sofrer assédio e violência, por mostrar seu corpo.

Nudez liberada

Luz Del Fuego

A legalização do nudismo no Brasil começou na década de 1940, quando a militante política Luz Del Fuego criou o Partido Naturalista Brasileiro. Por meio de uma concessão da Marinha, obteve licença para fundar um clube de naturismo em uma ilha do Rio de Janeiro que ela rebatizou Ilha do Sol. Instituiu que ali a nudez total era obrigatória – inclusive para as autoridades que desejassem visitar o espaço. A ilha logo se tornou atração para celebridades internacionais, famosa por seus bailes de carnaval. Luz Del Fuego, nome artístico de Dora Vivacqua, pregava a convivência harmônica com a natureza, com alimentação vegetariana e a não ingestão de álcool ou drogas. “Um nudista é uma pessoa que acredita que a indumentária não é necessária à moralidade do corpo humano. Não concebe que o corpo humano tenha partes indecentes que se precisem esconder“, dizia ela.

Com o golpe militar de 1964 e a repressão às liberdades individuais, a prática do naturismo passou a ser evitada, sob o temor de que fosse vista como contrária ao regime. Luz Del Fuego morreu assassinada em 1967 e a Ilha do Sol ficou desabitada.  Após o reestabelecimento da democracia, o primeiro lugar a ter o naturismo regulamentado no Brasil foi a praia de Tambaba, na Paraíba, em 1991. Hoje há, em território brasileiro, pelo menos uma dezena de praias de nudismo – que são também áreas de preservação.

Praias de Naturismo no Brasil

Tambaba – Conde – PB
Barra Seca – Linhares – ES
Massarandupió – Entre Rios – BA
Praia do Pinho – Balneário Camboriú – SC
Praia do Abricó – Rio de Janeiro – RJ
Praia de Pedras Altas – Palhoça – SC
Praia da Galheta – Florianópolis – SC
Olho de Boi – Búzios – RJ
Praia Brava – Cabo Frio – RJ
Jurubá – Paraty – RJ

Praia de Tambaba, perto de João Pessoa, PB

Onde tirar a roupa não agride

Algumas imagens de nudez explícita, fora de contexto, tornam-se desagradáveis. Confesso que não gosto de me deparar com alguns avatares de pênis eretos ou vaginas abertas que vejo no Twitter. Nesse caso, não é a nudez que choca, mas o contexto e a intenção. O contexto seria uma rede social que não é voltada para o sexo, a procura de parceiros sexuais ou o compartilhamento de conteúdo pornográfico amador. Em outros sites de relacionamento, como Sexlog e Cam4, já se espera a visão de imagens pornô. A intenção, ao que me parece, no caso das pessoas que põem foto de genitália no avatar do Twitter seria obter dos outros algum tipo de satisfação sexual – desconsiderando que a maioria das pessoas não está disposto a satisfazer as vontades de estranhos.

Da mesma forma, sempre vai haver quem confunda os espaços de nudismo com locais de oba-oba – putaria liberada. Não, não é uma fuck party. Sou super a favor de festas liberais, que isso fique bem claro. Mas é importante diferenciar ambos os ambientes, pois há quem confunda. Fui à praia da Galheta, em Florianópolis, algumas vezes. Não era o tipo de ambiente em que eu me sentiria à vontade de ficar nua, pois quase todas as pessoas que frequentam usam biquíni e só quem vi despidos eram senhores conhecidos por ali como punheteiros.

Não é o caso da praia de Tambaba, na Paraíba, e outros locais melhor fiscalizados onde é obrigatório andar ao natural. O naturismo prega um tipo de conduta ecologicamente responsável, em um ambiente de respeito – valores importantes de serem resgatados nos dias de hoje. A experiência de se desconectar do mundo e entrar em pleno contato com a natureza é uma forma também de buscar equilíbrio em meio a tantas forças em conflito que precisamos enfrentar no dia a dia.

A jovem Carina mora na Colina do Sol, maior vila naturista da América Latina, localizada no Rio Grande do Sul. Ela conta como é a experiência de viver em contato direto com a natureza no vídeo abaixo:


Um dia na vida de uma naturista por PedrodePena

Você tem vontade de frequentar algum ambiente de nudismo? Se já foi a um lugar assim, como se sentiu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *