Sexo anal sem neura, com prazer e orgasmos inesquecíveis – Você deve tentar!

Olá, terráquea que não consegue nem pensar em dar o bumbum – ou que morre de curiosidade, mas tem medo! Hoje a conversa é com você. Proponho um papo franco e aberto. Imagine que estamos em casa, fofocando… Só peço uma coisa: deixe os preconceitos e tudo que você ouviu ou leu sobre o assunto até hoje de lado.

Mesmo se conhecendo e se permitindo o prazer, a mulherada ainda tem muitas dúvidas quanto ao sexo anal. É um assunto cercado de tabus. Começa desde a adolescência, quando a mãe diz pra filha: “o dia que o rapaz te pedir isso, diga a ele que vai enfiar-lhe um cabo de vassoura, caso ele diga que é bom, você o deixa fazer”. Se já ouviu isso, esqueça! Dicas erradas como: “tem que estar bêbada”; “o garoto tem mais tesão nisso que a menina”; “eles gozam com essa prática, elas não”; “eles não conseguem segurar e gozam muito rápido”; “pede pro rapaz fazer rápido, que nem sente dor” – também pode tratar de esquecer. Já adianto que é possível gozar com essa prática. E se ele souber fazer, nem dói.

Se parar para pensar na vida sexual dos gays, fica fácil entender como é gostoso. É pela entrada dos fundos que eles se excitam e vivem anos e anos de relações sexuais intensas, satisfatórias. E deliciosas. Se fosse ruim, eles fariam? E as garotas de programa que muitas vezes são procuradas só para umazinha ali atrás? Será que se fosse penoso, terrível, elas se submeteriam a isso, apenas por dinheiro? E aquela sua amiga, que diz que dar o bumbum é tudo de bom e que você deveria tentar? (Se não tem essa amiga, prazer! Me chamo Laura!) Será que ela está louca? Não, fofa! Não está. Você deve mesmo tentar.

Homens têm uma tara inexplicável por essa área do corpo, já que é mais apertadinho e não convencional. Além da visão maravilhosa que dizem ter, se sentem promovidos quando a moça concorda em fazer. É como se a garota chegasse ao nível máximo na cama, de entrega e confiança total. E não são só eles que sentem prazer. Exemplos de sensações que o sexo anal pode te proporcionar, mocinha: sentir-se completamente dominada; sentir-se uma vadia sem pudor algum; experimentar algo novo; desafiar seus limites; ter certeza de que pode confiar nele; aumentar a intimidade; gozar deliciosamente, com penetração dupla (caso ele trabalhe com os dedos ou use um vibrador – essa é a melhor parte!).

 

Existem cinco segredinhos:

1. Você tem que querer fazer e estar disposta;

2. O seu parceiro deve ser cuidadoso e saber fazer – é preciso calma e cuidado nessa hora, pois o ânus tem que ser estimulado pela glande para relaxar e ser penetrado;

3. Use lubrificante à base de água, assim como o KY – por ser uma região que não tem lubrificante natural, o uso de um é indispensável;

4. Não desista nas primeiras tentativas;

5. Não ofereça seu bumbum a qualquer um, nunca – essa prática exige confiança, entrega e um alto nível de intimidade, coisas que é impossível ter com quem você acabou de conhecer.

O ânus é um canal de saída, formado por dois tubos musculares anulares que, no momento da penetração, estão contraídos dificultando a entrada. Por isso, a glande deve penetrar devagar, em movimentos de vai e vem, relaxando esses músculos. Depois de relaxado, penetrado completamente, pode-se até mudar as posições que não há mais desconforto. Para ser bem franca, tem o lugar que ao penetrar a cabeça do pênis, dói e o que não dói; esse é um pouco abaixo do que entra e dói (estando na posição de bruços). Quem dita esse lugar é você, já que está sentindo a tentativa de entrada.

Comece trabalhando com você mesma. Sem interferência de ninguém, descubra o prazer nessa região. Pode usar um vibrador anal ou o dedo. Ao se sentir preparada para fazer com um parceiro, atente aos rapazes que não sabem fazer com cuidado. Esses não são indicados para praticar, muito menos inciar o sexo anal. Se seu parceiro tem essa capacidade de esperar e você sente que ele merece, peça que ele brinque. Que passe o pênis ereto entre o bumbum, coloque a glande na pontinha, na entrada mesmo. Vão brincando, na hora da transa, diga a ele coisas como: “Come meu cu” ou “Mete no meu rabo” o até “Goza no meu cuzinho“. Peça que ele fale também, o quanto deseja te comer assim, como vai fazer, o quanto sente tesão… Tudo isso, enquanto penetra sua pussy. Só para você se acostumar com a ideia. Combine com ele que quando quiser mesmo, você vai pedir que ele faça e mostrar a ele o gel lubrificante. Assim, ele vai ter certeza de que você realmente quer.

Da mesma forma que existem rapazes que não sabem tirar virgindade das garotas, há aqueles que não sabem fazer sexo anal com cautela. Pode ser que você precise tentar com alguém diferente. Segurança e vontade que determinam o momento de fazer. O rapaz, por sua vez, deve ir com muito cuidado, seguindo as suas instruções. Não existe obrigação de terminar. Caso esteja desconfortável demais, peça que ele pare. Assim como a primeira vez – no sexo, não vai ser uma maravilha e pode sim, sentir alguma dor; provavelmente você não vai conseguir gozar. É muita informação e adrenalina para administrar. Se conseguir relaxar e curtir, já está de bom tamanho. Isso não deve servir de pretexto para não tentar mais vezes. Afinal, é praticando que se toma gosto pela coisa.

Durante a relação, podem ocorrer alguns transtornos – fecais. Há duas formas de se livrar de possíveis sujeiras. Observe-se e veja se o seu intestino já trabalhou naquele período – caso esteja em dia, tudo certo! Caso contrário, faça a “mangueirinha” ou “xuca”. Basta usar o chuveirinho: tire a parte de cima, coloque com jeito, somente a mangueirinha dentro do bumbum e deixe encher de água. Quando sentir um desconforto intestinal, como se fosse uma dorzinha de barriga, vá ao vaso sanitário e pronto. Vai ficar tudo limpo. Prefiro e indico a primeira opção – é bem melhor, mais natural e não suja nada. Mas se ocorrer algum problema no momento, haja naturalmente e não se sinta constrangida com isso. O rapaz que está disposto a entrar pelos fundos, está ciente que isso pode acontecer e já que está adentrando onde saem sujeiras, deve estar preparado para dar de cara com alguma.

A melhor posição é a que te oferece conforto. Para iniciar, recomendo deitar bruços e deixar que ele venha por cima.

Dica: ele começa pela entrada da frente, beija suas costas, sua nuca e vai te deixando maluca – quando você tiver pronta, peça que ele inicie a penetração no bumbum.

Podem fazer de ladinho também. Ou de frente – essa é pra quem já está acostumada com a prática; é bem gostoso, porque o parceiro pode te beijar enquanto penetra, usar o dedo ou vibrador na pussy, o que provoca um tesão fora do comum! Nunca deixe de usar camisinha e lubrificante. E não leve sujeira de trás para a frente – jamais.

Sempre estimule o clitóris – isso aumenta seu prazer e vai te levar ao orgasmo. Desafie seus limites. Permita-se a essa descoberta, faça por gosto e não exclusivamente para agradar ao parceiro. Sexo é feito pelo menos a dois, então ambos devem sentir prazer. Relaxa, gatinha… Relaxa e goza!

Ainda restam dúvidas? Pergunte nos comentários!

 


*Laura Rezende está sempre com um bom livro na bolsa. É viciada em escrever. Fala de sexo e relacionamento sem frescuras. Gosta de provocar reflexões; ainda que vez ou outra, gere polêmicas. Acredita no amor e na existência de príncipes encantados (apesar de estarem em extinção), pois tem um representante dessa espécie em casa. Mantém o blog Laura Rezende. Outros artigos de Laura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *